Criei este blog, para poder voltar a fazer algo que adoro, que é escrever! Mas por alguma razão ou várias, acabei por o deixar adormecido no mundo da blogosfera! Renovada, vamos acordá-lo!!!

14
Out 10

http://comunidade.sol.pt/blogs/margaridarebelopinto/archive/2010/09/17/As-gordinhas-e-as-outras.aspx

 

À algum tempo atrás encontrei este texto, através de uma amiga! Mais um texto de Margarida Rebelo Pinto. A minha amiga estava bastante irritada com o texto desta Sra., pois para ela era uma enorme difamação e discriminação.

 

Na minha opinião, acho que apenas é a discrição da imagem que vai na cabeça de uma pessoa frustada que provavelmente teve alguns problemas na adolescência. Pela discrição dá-me a entender que a dita Sra. deveria ser uma magra dondoca que vive na hipocrecia de parecer o que não é, pois isso é ser "bem". E como é melhor ser-se "bem" do que verdadeira!

 

A mim não me choca! Pois sou da opinião que cada um deve escrever o que lhe vai na alma, por muito que magoe os outros! E cada um lê o que quer e senão gostou é livre de colocar lá a sua opinião ou então nunca mais ler ou neste caso seguir o belo do blog.

 

Além que não devemos de dar muito interesse a certas coisas, se sabemos que elas são levadas a exageros não fazendo sentido nenhum.

 

Por experiência falo, na minha adolescência e antes de casar, a maior parte das minhas amizades eram rapazes. Sempre assim foi desde o liceu! O grupo geralmente era eu, uma outra amiga e um monte de rapazes. Porquê?

 

Porque sim! Não era gorda, era até bem magrinha! Mas era muito mais fácil lidar com os rapazes, pois eles não passavam a vida a pensar em coisas fúteis e a pensar nas várias dietas e nas calorias que podiam ou não ingerir!

 

Ao pé deles podiamos dizer asneiras sem deixar alguém sem pinta de sangue. Podiamos gritar, berrar e dizer parvoices sem deixar ninguém ofendidos e com cara de horror. Podiamos ser nós próprias!

 

E quando digo nós próprias, digo raparigas normais, que gostam de vestidos e maquilhagem, que andam de salto alto e gostam de música romãntica. Não nos tornámos masculinas e mantivemos a nossa femininalidade.

 

Apenas era mais fácil lidar com eles, do que com as dondocas, que faziam grupos e rivalizavam entre elas. Que pela nossa frente eram muito amigas e nas nossas costas esfaqueava-nos na primeira oportunidade. Que pareciam o que não eram!

 

E não foi por a maior parte dos amigos serem do sexo masculino, que nos envolvemos com eles ou caimos em tentação numa noite de alcool a mais. Aliás era mais ao contrário... (uma coisa boa de nos darmos com rapazes e sermos sinceros, é que eles nos contam tudo) pois as meninas "bem" eram sempre as rodadas pelo grupo dos rapazes. Sempre lindas, puras, que não partem um prato!!! Ah! Partiam, mas era a loiça toda!

 

Pois para mim esta Margarida, na sua adolescência era a magrinha, dondoca, cheia de nove horas. Que pela calada da noite fez tudo o que as outras fizeram (para depois se fazer de santa). E provavelmente esta irritação dela pelas gordinhas, talvez venha porque algum apaixonado de infância preferiu a sinceridade e amizade da gordinha, do que um modelo de menina que vive atrás de uma máscara e nunca foi mulher para a atirar ao ar e assumir que não é vergonha nenhuma sermos quem somos.

 

Mas de qualquer forma a dita, está no direito de escrever a sua imagem distorcida de quem algum dia foi perferida!!!

"Ser gira dá trabalho e requer alguma diplomacia. Que o digam as minhas amigas mais bonitas e boazonas que foram vendo a sua reputação ser sistematicamente denegrida por dois tipos de pessoas: os tipos que nunca as conseguiram levar para a cama e as gordas que teriam gostado de ter sido levadas para a cama por esses ou por outros. Uma mulher gira não pode falar alto nem dizer palavrões que lhe caem logo em cima. Já uma Gordinha pode dizer e fazer tudo o que lhe passar pela cabeça, porque conquistou um inexplicável estatuto de impunidade."

Oh minha sra., quem lhe disse que para ser gira, não se pode falar alto, nem dizer palavrões? Quem lhe disse que as suas amigas não foram realmente para a cama com esses tais tipos? Elas? Elas que não são capaz de ser verdadeiras, que vivem numa constante fantasia que são melhores do que os outros? Elas que nas suas costas passam a vida a dizer mal, em como é magra e sem formas? Elas, que não sabem o que é sinceridade?

 

E quanto às gordinhas? Essas minha querida têm coisas mais importantes para pensar, do que em outras escazeladas que não conseguem manter uma conversa interessante e a a única coisa que as preocupa é a diplomacia de ser gira.

 

Não, não sou gorda! Gosto de pessoas verdadeiras com essência! Detesto pessoas hiprocritas, que não se conhecem, pois passaram a vida preocupadas com a imagem que passam para os outros.


publicado por milcoisasdebettyboop às 23:44

13
Out 10

Alguém me perguntou como é possível, um dia um pai acordar e deixar de "amar" um filho?

 

Durante muitos anos, perguntei a mesma coisa e vivi em busca dessa resposta. Mas hoje eu sei que existem certas pessoas que nascem com incapacidade de amar, de ter emoções, sentimentos. Como a minha mãe disse um dia: nascem vazios!

 

Como infelizmente, muitos nascem com algum tipo de deficiencia física, falta de um dedo, de uma mão ou um braço, este tipo de pessoas nascem sem a capacidade de amar.

 

Muitos vivem casados, com filhos... mas desligados dos sentimentos e se formos analisar bem, vemos que no fundo, no fundo nunca amaram na vida e vivem pelos pequenos prazeres que ela lhes dá... nunca pelos grandes, que é o de amar alguém incondicionalmente.

 

Pode ser anormal, vermos as coisas nesta prespectiva, mas se pensarmos bem, a natureza têm em todo lado estas aberrações e o ser humano não é diferente. Levamos a vida a observar os animais com as suas crias, como as amam e as defendem... mas também encontramos muitos que por uma anormalidade do seu sistema as matam e muitos comem-nas. É a natureza! Por muito que nos choque!

 

A verdade é que hoje que sou mãe, não consigo imaginar deixar de amar o meu filho... de imaginar a minha vida sem aquele ser... aquele pequeno ser que todos os dias tem um carinho, um sorriso e um olhar para demonstrar como me ama.

 

Como alguém disse: é tão fácil, amá-los... seria tão fácil...

 

Ser pai, também é uma capacidade... não é para todos... e é algo que não se aprende com o tempo, é algo com a qual já nascemos e quando temos o nosso filho nas mãos aprendemos a desenvolver.

 

 

 

 

publicado por milcoisasdebettyboop às 14:16

23
Set 10

Olho para o ecrã... começo a tentar escrever... sai uma palavra e depois outra e outra. Mas nada faz sentido!

 

Então apago e recomeço novamente... e continua a não fazer sentido e depois apago tudo novamente para recomeçar... mas paro a olhar para o ecrã vazio. Fico à espera de inspiração, fico à espera que a minha imaginação desperte numa viagem... mas nada!

 

Respiro fundo e pergunto-me o que estou a pensar... são tantas coisas que me surgem na mente, que me apercebo que estou

confusa, bloqueada!

 

É um novelo emaranhado, onde procuro a pontinha do fio, procuro... procuro... e ainda fica tudo mais confuso!

 

Apetecia-me escrever e escrever... mas as palavras não fazem sentido... então desisto!Fico apenas a olhar calada para o ecrã em branco... respiro fundo e tento limpar a mente... hoje não dá... mas outro dia a minha imaginação vai voar!

publicado por milcoisasdebettyboop às 10:39

16
Set 10

O Verão está a ir embora... está a chegar o Outono!
A verdade é que adoro esta fase de transição entre o terminar de uma estação e o começar de outra! Adoro o cheiro a terra molhada, quando chuvisca um pouco!
Quando a terra completamente seca, volta finalmente a sentir alguma humidade! Adoro poder andar na mesma com as roupas de verão e sentir aquele fresquinho na pele já imensamente queimada pelo sol!
Adoro de manhã, depois de toda a gente sair de casa, ir até à janela com a minha caneca de café e sentir aquela mistura de cheiros! O ar de Outono... a terra molhada... e o aroma a café com cheiro a canela! Adorooooo!!!
É nestes pequenos momentos que sinto a vida a encher-me completamente e pensar que esta, mais simples sensação, vale e apaga todos os maus momentos que muita vezes passamos na vida!
Vamos deixar nos envolver pela natureza, pelos bons aromas... deixar que eles invadam com a sua energia e nos dêem novamente revitalidade!

publicado por milcoisasdebettyboop às 10:55
Hoje estou: Inspirada!

14
Set 10

O Verão está quase a terminar, tal como as férias e os dias de festa!

 

Começa a azafama e a lufa lufa do dia a dia! Ontem, aqui em casa logo de manhã notou-se o terminar das férias! Como moro mesmo em frente de uma escola secundária... logo pelas 8 da matina começámos a ouvir os carros a buzinar, os miúdos a gritar e os pais muito atrapalhados a dar montes de conselhos (que eles não ouviram!).

 

A minha rua têm 3 horas de ponta: de manhã, quando se traz os piralhos; à hora de almoço quem traz e vêm buscar; e finalmente às !8 da tarde em que os paizinhos vêm buscar os pikenos e estacionam onde lhes dá na real gana!

 

Mas não é só aqui, pois cada vez que vou bucar o meu filho ao colégio é exactamente a mesma coisa! A minha sorte é que é tão perto que vou a pé e quando é o pai que vai de carro, estaciona em frente à casa do pai que é uns metros do Infantário.

 

Para ir buscar ou até mesmo passar apenas na rua de carro em hora de ir buscar as criançinhas ao Infantário é uma aventura! Apesar de haver um estacionamento na parte de trás, muitos pais continuam a parar em frente ao portão da escola, mesmo no meio da estrada à espera que o filho se despeça do coleguinha e se decida a entrar no carro.

 

Fico absurta com a descontração dos papás e mamãs, que apesar de ter uma imensa fila para passar, ficam ali parados a sorrir para a sua prole!

 

Uma vez deparei-me com uma cena, que me ia dando vontade de bater na dita pessoa! Ia eu e o pai de carro, tentado passar para estacionar normalmente o carro e ir buscar o L. Quando um jipe para na nossa frente e sai uma Srª do volante... e do outro lado saí um Sr. já de alguma idade.

 

O que pensámos é que a Srª iria buscar a criança e o Sr., mudaria de lugar para continuar com o jipe e colocá-lo num local mais adequado... o que seria o que qualquer pessoa normal faria!

 

Pois, estamos todos enganados! Pois o Sr. mudou de lugar apenas para ficar lá sentado e não moveu o carro o cm sequer! Deixando um jipe enorme a obstruir a passagem!

 

Depois de muitas apitadelas e de um Sr. começar a desacar o homem, este lá se dignou a andar com o carro mais para a frente e tentar dar minímamente passagem aos outros.

 

A sério fico parva, com a pouca consideração das pessoas e chego à conclusão que cada vez mais nos tornámos idividualistas!

 

E como apesar não trabalhar (ainda!), também a minha lufa-lufa começou! Já voltei às minhas aulas de condução ( espero nunca me vir a tornar nestes estúpidos condutores) e vou começar a minha procura de emprego! Pois estou farta, fartinha de estar em casa.

 

Por isso meus amigos tenham cuidado na estrada... muito cuidado... ela anda aí!!!

 

Tão linda que vou!!!

publicado por milcoisasdebettyboop às 12:05

13
Set 10

 

Acordei horrívelmente mal... sabem quando temos aqueles pesadelos horríveis que nos parecem realidade absoluta?

 

São aqueles que até conseguimos sentir a dor tão profundamente que nos esmaga o peito! Ainda por cima o horrível da situação é sermos acordádos mesmo quando estamos na pior situação e somos arrancados daquela realidade do nosso inconsciente... mas a dor e o sentimento são ao mesmo tempo puxados para a nossa realidade!

 

Juro que ainda me sinto mal! Sinto-me mal disposta e com uma horrível dor no peito!

 

A minha vontade era ir dormir novamente para tirar esta sensação horrível!

 

Já sei que este dia vai ser daqueles díficeis e cheios de mau humor... amanhã será melhor! Espero!

 

 

publicado por milcoisasdebettyboop às 10:35
Hoje estou: Enjoada!

01
Set 10

Quem não conhece o conceito de “ Dona de casa desesperada”? Quem não conhece é porque ainda não foi mãe... sim, desculpem me todas as outras mulheres que ainda não tiveram o dom da maternidade, mas para se ser uma verdadeira “dona de casa desesperada” têm de se ser mãe... de pelo menos um... não quero imaginar com mais de um!!!

 

Tentem imaginar... acordar às 7h30 da matina, porque o bebé despertou e quer o leitinho (até aqui tudo normal, um começo de dia a dia normal!)

 

Como temos de levantar cedo para nos arranjar, pois é o 1º dia de Infantário, depois de um mês inteiro a curtir as f´rias com os pais e avós, até é bom levantar cedo.

 

20 minutos no bacio para treinar, banho, roupa lavadinha e mochila pronta com o almoço e lanche e estamos prontos para um dia em cheio de aventuras. Mas que dia...

 

Conhecer a nova educadora e auxiliares que vão ficar com o bebé ao longo do ano, conversa de praxe... e o coração a começar a encolher... o bebé fica com uma auxilar contrariado... os olhinhos a questionarem-se o motivo da mãe estar a ir embora e a deixar-lo com duas pessoas completamente estranhas e um monte de bebés chorões.

 

Aguentamos, respiramos fundo e continuamos em frente, em direcção à porta... o coração agora está completamente estraçalhado... mas continuamos, porque sabemos que é o melhor.

 

Na rua alguém nos diz: - então como ficou o menino? Bem? E a mãe?

 

Pronto... o nosso chão desanda e o único resto de força que no resta evapora... as lágrimas correm 4 a 4. A garganta fica seca e começa-se a formar um nó...

 

(Posso dizer que fui o caminho até casa a chorar como uma desalmada e a falar com a única pessoa que passou pelo mesmo e podia entender exactamente aquilo que estava a sentir!!!)

 

Agora imaginem... passar o resto do dia de coração apertado e constantemente a sentir aquela maldita lágrima a escorregar pela cara... a tentar fazer algo de útil e estarmos tão perdidas que acabamos por não fazer nada de jeito.

 

Vamos buscar o nosso pequeno, desejosas de saber como foi o dia... acabou por não ser assim tão mau... vamos para casa... fazer o jantar... mas...

 

A coisa descarrila completamente... o bebé está demasiado chateado devido ao dia novo que teve, só pede a nossa atenção, só quer o nosso colo... e o jantar para fazer... continuamos a tentar fazer malabarismo entre entreter o pequeno e acabar o jantar...

 

Durante o jantar a birra transforma-se... ora se quer comer... ora não se quer comer... o sono apodera-se do corpinho que ainda teima em brincar... chora por tudo e por nada...

 

Tentamos arrumar pelo menos a cozinha, mas é impossível... somos o mundo de alguém que apenas quer a nossa atenção... começamos a ouvir o choro a ecoar pela casa, pela nossa cabeça... sentimos a paciência a esgotar-se... mas respiramos fundo... é um pequeno ser que está tão cansado e sensível como nós.

 

Optamos por deixar tudo para trás, vamos ao banho e vestir o pijama, pois com os olhos pesados que ele apresenta com certeza que fica na cama e dorme... pedimos muito a todas as coisinhas que acreditamos, para que isso aconteça.

 

Imaginem-se esgotadas porque passaram um dia completamente confuso de sentimentos, os nervos à flor da pele... aquele chorinho a soar constantemente no fundo da vossa cabeça... a constante superação de não perder o controlo.

 

Está deitado na cama... finalmente um momento de beber um golo de vinho e acender um cigarro... espera... ouço algo no corredor... saiu da cama, trás a fralda numa mão e chucha na outra... parou e fica a olhar ali no meio do corredor de gatas para mim, como a pedir clemência para não o voltar a pôr na cama. Respiramos fundo...

 

Sentimos o controlo a fugir... abrimos o portátil e começamos a escrever, numa tentativa de acalmar... ele gatinha pela sala... e continuamos a escrever... pede-nos colo... sentado olha para o visor do portátil... encosta a cabeçinha no nosso braço e sentimos o seu cheiro... e de repente uma sensação de amor, alegria, carinho apodera-se de nós... e as coisas começam a acalmar...

 

Ser mãe é isso mesmo, perder muitas vezes o controlo das coisas, tentarmos conciliar tudo e derepente sentirmos o chão a fugir... querermos fazer o melhor e ser o melhor, mas somos apenas humanas... no fim o que conta é a sensação de amor transmitida de um para outro.

 

O que importa é o amor que sentimos por eles... não existem mães perfeitas, não existem cursos e eles não trazem livro de instruções... seguimos os instintos que eles nos despertaram durante nove meses e rezamos para que seja a opção certa... ouvimos alguns conselhos e desligamos das opniões dos outros e com o tempo tudo dá certo!!!

 

Finalmente adormeceu...

publicado por milcoisasdebettyboop às 22:52
Hoje estou: Tired
tags:

24
Ago 10

Imaginem chegar a uma cidade e depois de imensos km feitos de carro, e não encontrarem nínguem! A única coisa que vêem são edíficios fechados, lojas fechadas, ruas desertas! Um completo deserto!!!

 

Assim, foi como encontrámos Alicante! Entrámos na cidade e não se via nenhuma alma penada!Nada que respira-se!

 

Até que encontrámos um carro da polícia e ao perguntarmos onde havia uma loja da Vodafone nos respondeu que estava tudo encerrado. Como? Nem o centro comercial está aberto? Nãooooooooo!!!

 

Finalmente, lembrámos-nos que era Domingo e muitas coisas estariam fechadas. Mas neste caso não eram muitas coisas e sim, tudo! Desde grandes a pequenos supermercados, lojas, cafés, restaurantes, tudo estava fechado e não encontrávamos nada, nem ninguém.

 

Andámos às  voltas por ali e começámos a entrar noutra parte de Alicante, uma parte um pouco mais movimentada e também com alguns estabelecimentos abertos. Estávamos a aproximar da zona perto das praias e essas sim, valem muito a pena!

 

Resumindo Alicante, é uma cidade àrida!Mas vale a pena pelas praias e por conhecer uma cidade diferente!

 

Como o meu caro esposo disse: Fomos dar à Zona de Chelas cá do sítio, mas deserta!

 

O que vale é que encontrámos depois a zona Vip! LOOOOOOOOOLLLLL

 

Começámos as aventuras!!!

publicado por milcoisasdebettyboop às 22:56

De férias finalmente!!!

 

A volta foi sair de Lisboa no Domingo pela 1 da manhã! Chegar a Alicante, por volta das 16 horas de segunda feira! Passeamos por Alicante, almoçámos e depois fomos até Benidorm para aproveitar uma praia. Hoje saimos do acampamento por volta das 10h e apenas parámos em Tarragona para almoçar e de seguida Barcelona. Já se passaram algumas situações caricatas que não me vou esquecer de postar aqui.

 

publicado por milcoisasdebettyboop às 22:46
Hoje estou: Cansada

13
Ago 10

Ontem fiquei deliciada ao ver o dançarino do meu filho, a abanar a fralda ao som do pum… pum…pum… que tocava no bar em Sesimbra, onde o levámos!

 

Fomos dar os parabéns a uma amiga de Sesimbra e combinámos o encontro no Yuri um bar conhecido que têm uma varanda com uma pequena esplanada, onde podíamos ter o bebé sem problemas.

 

Pois o pequeno ser de 14 meses, ainda sentado no sofá começa a abanar-se todo ao som da música e a mexer os bracinhos, com direito a movimentos ao estilo de DJ e tudo! De mais!!!

 

Mais tarde quando se pôs em pé e depois de um amigo começar também a dançar, foi vê-lo agarrado a uma cadeira e a dançar freneticamente, até direito a uns passinhos com os pezinhos teve. Isto durou a noite toda! Pronto até perto da uma! Apesar de muito bem disposto como sempre, sem sinais de birra, o pequeno tinha de ir fazer ó ó!

 

Uma delícia ver aquele rabinho com a fralda a abanar todo!

 

A minha questão é a quem é que ele foi puxar esta sua mania da dança (é que não foi a primeira vez!!!) Se foi a mim e ao pai, então bem que me posso preparar para passar muitas noites em branco!

 

Ou será que foi de ter levado a minha grande barriga para a discoteca no tempo da gravidez? Será que teve influência?

publicado por milcoisasdebettyboop às 10:41
Hoje estou: Babada!!!

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
Sobre mim
pesquisar
 
favoritos

Escrever